Notícias

Este é um espaço colaborativo que  visa compartilhar informações entre educadores de teatro. Caso tenha interesse em divulgar e/ou partilhar informações e oportunidade para professores de teatro CLIQUE AQUI

 

Abertas as inscrições para o XI Congresso da ABRACE 2021: Artes Cênicas e Direitos Humanos / Formato On-line

Escrito por
Avalie este item
(1 Voto)

Postado em: 18/02/21

Prazo para submissão: 24/01/2021 a 05/05/2021

Data do evento: de 13 a 18 de junho de 2021 

O XI Congresso da ABRACE, a ser realizado no ano de 2021 na Unicamp, tem como objetivo a continuidade e aprofundamento das discussões das artes cênicas e  direitos humanos já iniciadas no ano de 2019 na X Reunião Científica realizada, também, na Unicamp. Não podemos nos furtar de discutir, junto a esse tema de base, o grande momento mundial de pandemia e pós-pandemia pelo qual temos passado e ainda passaremos. 

Um vírus microscópico parou o mundo! O atual governo federal tem um papel desmoralizante nesta pandemia, sendo protagonista da falta de ações técnicas no gerenciamento federal da saúde pública. Hoje, enquanto esse edital é escrito, temos no Brasil mais de 221.000 mortes e mais de 9 milhões de casos de COVID-19, cenário esse agravado por um governo federal sem ação concreta no combate à pandemia e que parece fazer questão absoluta de ignorar essa situação alarmante. Um governo que traz em seu bojo uma vontade de gerar conflitos e colocar a democracia brasileira em risco. A democracia no mundo contemporâneo não se faz pela vontade simples de uma maioria, mas, principalmente, em prol dessa maioria. A partir de seus governantes eleitos por sufrágio universal, espera-se que a democracia dê espaço e poder para que as ditas minorias possam ter voz e galgar espaço político e humano, para que superemos as sociedades patriarcais, heteronormativas e neuronormativas que hoje prevalecem no cenário global. A democracia moderna vive a partir desses princípios, e não a partir da imposição da vontade da maioria que vence uma eleição. Infelizmente, nossos atuais governantes brasileiros desprezam essa questão básica do princípio democrático e republicano. 

Não bastasse isso, desde o princípio, o governo brasileiro parece declarar guerra contra a cultura e contra os artistas, fazendo com que a ABRACE esteja, obviamente, na linha de frente desse ataque junto a outras associações do gênero. 

Com a pandemia urrando em nossos calcanhares, artistas em geral e o teatro, o circo e a dança em particular, foram os mais afetados. Nosso objetivo de vida e poesia é justamente a aglomeração, a coletividade de corpos em comunhão, a troca de suores e sorrisos em grupo. Nossa força são corpos agrupados e acontecimentos coletivos. Com senso de responsabilidade social, a classe artística foi a primeira a cessar suas atividades e será, certamente, a última a retomá-la. Estamos, portanto, enfrentando duas frentes de resistência: por um lado a oposição a um governo que acredita serem os artistas inimigos ideológicos e, por outro lado, a luta contra um inimigo invisível que destruiu, apesar de seu tamanho diminuto, nossa maior arma de revolução: os corpos coletivizados em poesia, a comunhão de pessoas em fruição poética. Estamos imobilizados pelo coronavírus, pois nossa poesia presencial agora é risco. Lembramos aqui de Cazuza: “O meu prazer agora é risco de vida...”. 

Mas o que fazer? Desistir? Jamais...

O XI Congresso da ABRACE reunirá, de forma virtual, artistas, associades e convidades para debaterem ações, conceitos, estratégias humanas, políticas e artísticas para aprofundar, agora, as discussões sobre artes cênicas e direitos humanos em contexto de pandemia e pós-pandemia. 

Inscrição: https://www.even3.com.br/abrace2021

Para mais informações CLIQUE AQUI

Lido 457 vezes
Compartilhar
Give your website a premium touchup with these free WordPress themes using responsive design, seo friendly designs www.bigtheme.net/wordpress