material acadêmico

Este é um espaço dedicado a  você, professor de Teatro. Aqui você pode divulgar seus trabalhos acadêmicos (dissertações, teses, monografias, ensaios e artigos) já publicados ou não e resultados de pesquisa na área de Teatro-Educação. Colabore e aproveite a experiência dos seus colegas.

Escola Municipal Cabula 1
Cidade: Salvador BA
Nível de Ensino: Ensino Fundamental 1 - 5º ano
Contato: julianerosario@gmail.com

Este relato é fruto da experiência realizada junto aos alunos do 5º ano da Escola Municipal Cabula 1, no período de março e abril de 2019. A unidade escolar faz parte da Rede Municipal de Ensino de Salvador, atende 360 alunos em turmas de Fundamental 1 e EJA, e está localizada no bairro do Cabula, em Salvador, Bahia.

O debate sobre gênero nas escolas é imprescindível, uma vez que a sociedade determina estereótipos de gênero e a criança é fruto desse meio. A escola deve dispor de ambientes e profissionais que possibilitem a prática de valores de igualdade e respeito entre pessoas de sexos diferentes e permitam que a criança conviva com todas as possibilidades relacionadas ao papel do homem e da mulher.  De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Formação Pessoal e Social:

RESUMO: Esta pesquisa tem como objetivo analisar as estratégias metodológicas e os efeitos da prática do jogo teatral em turmas do Ensino Fundamental 1 de três escolas particulares, de classe média, localizadas nos bairros de Copacabana e da Tijuca na cidade do Rio de Janeiro. Nosso ponto de partida foi a constatação de um aumento considerável de temas relacionados à violência na escolha de conteúdos de improvisação, assim como a observação de atitudes agressivas, preconceito e exclusão de forma frequente nas relações entre os alunos, fatos estes que me levaram a indagar sobre a pertinência do jogo teatral como uma intervenção possível no sentido de criar outras relações que pudessem tensionar aquelas que vinham sendo manifestadas. O principal instrumento pedagógico desta pesquisa são as improvisações e, como fundamentação teórica de nossa prática utilizamos o trabalho de três autores, que, pensaram o teatro em seu viés pedagógico: Viola Spolin, Jean Pierre Ryngaert e Bertolt Brecht. A questão aqui é como um aprendizado que é físico, corporal – como é o do teatro - pode colaborar na ressignificação de conceitos que constituam uma ética diferente da hegemônica apresentada pelo sistema social vigente, que se caracteriza pelas desigualdades sociais, miséria, fome, guerras, escassez dos bens naturais, impunidade e a violência. Este trabalho analisará os resultados obtidos na execução do projeto Rio de Janeiro Cidade Maravilhosa! Maravilhosa? – que teve como registro a gravação de um DVD no formato de um documentário, em que os jogos teatrais foram utilizados de forma a acirrar a discussão de pensar a realidade histórica de maneira dialética e, também, na compreensão de uma linguagem estética como forma de expressão artística.

Publicado em TESES E DISSERTAÇÕES

Este estudo analisa a metodologia dos jogos teatrais desenvolvida por Viola Spolin (1906- 1994) sob o ponto de vista de um aprendizado pela experiência, examinada a partir dos conceitos de experiência desenvolvidos por William James (1842-1910) e John Dewey (1859- 1952). Procuro compreender especificamente os conceitos de experiência na perspectiva destes autores, em suas várias formulações, buscando estabelecer possíveis diálogos com a prática dos jogos teatrais. No panorama da pedagogia do teatro, procuro estabelecer as relações possíveis destes conceitos com a metodologia improvisacional dos jogos teatrais proposta por Viola Spolin.

Publicado em TESES E DISSERTAÇÕES

Faixa Etária: A partir de 11 ano
Tempo: ---

Objetivo: 
Trabalhar escuta de cena , criatividade e improvisação

Publicado em Jogos improvisacionais

Faixa Etária: a apartir de 11 anos
Tempo: 50 min
Objetivo: Trabalhar improviso, o Onde, o O quê e o Quem da cena

Publicado em Jogos improvisacionais

Faixa Etária: a partir de 10 anos
Tempo: --
Objetivo: 
Improviso com o corpo

Publicado em Jogos improvisacionais

Faixa Etária: a partir de 13 anos
Tempo: --
Objetivo: Trabalhar a  fisicalização

Publicado em Jogos improvisacionais

Faixa Etária: a partir de 13 anos
Tempo: --
Objetivo: Trabalhar o Onde, o O quê, o Quem da cena e Escuta de Cena.

Os atores devem improvisar a cena, mas ficarem atentos aos comandos do ator que possui o controle da cena.

Publicado em Jogos improvisacionais

 Faixa Etária: a partir de 13 anos
Tempo: --
Objetivo: Criar cenas a partir de objetos propostos pela plateia.

Publicado em Jogos improvisacionais

Faixa Etária: a partir de 11 anos
Tempo: --
Objetivo: Trabalhar as ações da cena

Este exercício mostra a quantidade de informações que uma só palavra pode conter. Dois alunos atores em cena

Publicado em Jogos improvisacionais
Página 1 de 2
Give your website a premium touchup with these free WordPress themes using responsive design, seo friendly designs www.bigtheme.net/wordpress