Notícias

Este é um espaço colaborativo que  visa compartilhar informações entre educadores de teatro. Caso tenha interesse em divulgar e/ou partilhar informações e oportunidade para professores de teatro CLIQUE AQUI

 

Quinta, 28 Dezembro 2017 10:09

A revolucionária “dança da serpente” de Loïe Fuller

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Talvez seja controverso determinar a data de nascimento da dança moderna, mas é possível identificar os pioneiros e a época. As décadas finais do século XIX, chamadas de forma ampla e genérica de Belle Époque, viram surgir alguns dos mais inventivos artistas de todas as expressões que conhecemos, e com a dança não foi diferente.

Isadora Duncan foi a mais famosa, mas não houve nada igual ao que a americana Loïe Fuller fez no palco. Ela foi a criadora de uma técnica que misturava dança, performance com movimentos de tecido e iluminação de palco, revolucionando o próprio conceito de dança. O “serpentine dance”, como foi chamado, pode ser tomado como fonte inspiradora até para a ginástica rítmica, embora tenha sofrido certo estranhamento quando a dançarina e coreógrafa se apresentava.

Entre seus conterrâneos conservadores, Loïe foi levada pouco a sério, como uma artista circense, mostrando um show de variedades, não dança, mas ao se mudar para Paris teve uma acolhida calorosa e sua arte foi devidamente valorizada (acabou ficando por lá até sua morte, em 1928. Sua dança consistia em uma elaborada roupa costurada muio pano (seda), esvoaçante, com o qual rodopiava criando movimentos hipnóticos enriquecidos por um jogo colorido de iluminação de palco. Era um espetáculo visual único, misturando movimentos de todo o corpo confundidos com a dança dos panos que mudavam de cor.

Em 1896 os irmãos Lumière, pioneiros do cinema (que eram fascinados por registrar apresentações cênicas), gravaram o vídeo abaixo, que foi colorido à mão posteriormente, com a apresentação de uma dançarina aprendiz de Loïe Fuller ( não há registro filmado da verdadeira Loïe Fuller dançando, apenas coreografias suas interpretadas por discípulas).

fonte: Semema

Lido 683 vezes

Mídia

Give your website a premium touchup with these free WordPress themes using responsive design, seo friendly designs www.bigtheme.net/wordpress