material acadêmico

Este é um espaço dedicado a  você, professor de Teatro. Aqui você pode divulgar seus trabalhos acadêmicos (dissertações, teses, monografias, ensaios e artigos) já publicados ou não e resultados de pesquisa na área de Teatro-Educação. Colabore e aproveite a experiência dos seus colegas.

RESUMO: Esta pesquisa tem como objetivo analisar as estratégias metodológicas e os efeitos da prática do jogo teatral em turmas do Ensino Fundamental 1 de três escolas particulares, de classe média, localizadas nos bairros de Copacabana e da Tijuca na cidade do Rio de Janeiro. Nosso ponto de partida foi a constatação de um aumento considerável de temas relacionados à violência na escolha de conteúdos de improvisação, assim como a observação de atitudes agressivas, preconceito e exclusão de forma frequente nas relações entre os alunos, fatos estes que me levaram a indagar sobre a pertinência do jogo teatral como uma intervenção possível no sentido de criar outras relações que pudessem tensionar aquelas que vinham sendo manifestadas. O principal instrumento pedagógico desta pesquisa são as improvisações e, como fundamentação teórica de nossa prática utilizamos o trabalho de três autores, que, pensaram o teatro em seu viés pedagógico: Viola Spolin, Jean Pierre Ryngaert e Bertolt Brecht. A questão aqui é como um aprendizado que é físico, corporal – como é o do teatro - pode colaborar na ressignificação de conceitos que constituam uma ética diferente da hegemônica apresentada pelo sistema social vigente, que se caracteriza pelas desigualdades sociais, miséria, fome, guerras, escassez dos bens naturais, impunidade e a violência. Este trabalho analisará os resultados obtidos na execução do projeto Rio de Janeiro Cidade Maravilhosa! Maravilhosa? – que teve como registro a gravação de um DVD no formato de um documentário, em que os jogos teatrais foram utilizados de forma a acirrar a discussão de pensar a realidade histórica de maneira dialética e, também, na compreensão de uma linguagem estética como forma de expressão artística.

Esta tese pretende mapear algumas das atuais discussões acerca do teatro na educação – a partir de minha própria experiência como professora de Teatro -, assim como apresentar os resultados alcançados pela pesquisa realizada no âmbito de meu doutorado. Na primeira parte do texto, novas visões pedagógicas para o ensino das artes apontam a possibilidade de abordagem de conteúdos de história do teatro na escola, conforme sugerido pelos Parâmetros curriculares nacionais, que foram fortemente influenciados pelo conceito da Abordagem Triangular, elaborado pela educadora Ana Mae Barbosa. Na segunda parte do trabalho, procuro fazer um levantamento de materiais didáticos disponíveis para apoiar o trabalho com história do teatro em contexto escolar, além de relatar e analisar algumas das experiências que tenho conduzido junto a meus alunos da disciplina de Teatro, especialmente do Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira (CAp-UERJ).

Este estudo analisa a metodologia dos jogos teatrais desenvolvida por Viola Spolin (1906- 1994) sob o ponto de vista de um aprendizado pela experiência, examinada a partir dos conceitos de experiência desenvolvidos por William James (1842-1910) e John Dewey (1859- 1952). Procuro compreender especificamente os conceitos de experiência na perspectiva destes autores, em suas várias formulações, buscando estabelecer possíveis diálogos com a prática dos jogos teatrais. No panorama da pedagogia do teatro, procuro estabelecer as relações possíveis destes conceitos com a metodologia improvisacional dos jogos teatrais proposta por Viola Spolin.

Com a publicação da Lei Nº9.394/96, que transforma as atividades de artes em área de conhecimento no currículo escolar, surge a necessidade de se pensar um ensino de teatro mais afinado às condições da cultura na contemporaneidade. Esta pesquisa teórico-prática, de cunho artístico-educacional, trata de uma possível maneira de articular certa tendência teatral a discursos pedagógicos, levando em consideração o contexto da escola pública brasileira. Enfatiza a importância de se pensar um ensino que possa ser exercido para além da sala de aula, interagindo no ambiente, fazendo da atividade teatral também uma ação cultural. O trabalho propõe que, no campo do ensino do teatro, as metodologias adotadas ainda estão presas a modelos estéticos que se mostram cada vez mais insuficientes para enfrentar as constantes mudanças processadas no contexto cultural, principalmente naquilo que diz respeito às questões da recepção. O modo proposto para o enfrentamento de tal contexto é o de tornar as artes aliadas, mas independentes, dos discursos pedagógicos. Dessa maneira, acredita-se que os processos artísticos possam tornar-se também educacionais, proporcionando aos participantes a experiência de mudar o valor das coisas. Propõe-se ainda uma atitude docente que se diferencia de uma simples metodologia por suas finalidades; enquanto nessa trabalha-se a partir de um projeto, com diagnósticos e um objeto a ser alcançado, a atitude aqui proposta não sistematiza previamente, é uma ação que somente tem valor pelo efeito que provoca: o de mudar o curso do sentido daquilo em que atua. Com base em algumas referências teóricas, como Foucault, Lyotard e De Certeau, a tese indica um modo de pensar o ensino que enfatiza uma abordagem do presente que pode transformar o teatro em uma atuação nesse presente, no espaço da escola e no ensino de arte. Tal atitude pode ser observada nas proposições artísticas filiadas às ações do happening, da performance e das intervenções urbanas que, em conjunto, formam o que aqui é denominado teatro pós-drámatico

 Esta pesquisa parte da minha experiência de 17 anos de ensino na dança, música e teatro em ONGs e em escola pública do Rio de Janeiro. Reflito sobre a metodologia estabelecida por mim, apoiada nos pensamentos de Viola Spolin, Peter Slade, Peter Brook, Anne Bogart, Paulo Freire e Tsunessaburo Makiguti, e abordo questões sobre a preparação do aluno-ator para a encenação teatral em duas fases: durante o período escolar e durante o ano da montagem "Cenas de Romeu e Julieta" apresentada nos jardins do Museu Chácara do Céu em Santa Teresa com crianças do 5º ano do Ensino Fundamental I da EM Machado de Assis, em 2012. Institui-se uma preparação criativa em prol do coletivo, que preserva e protege o artista que toda criança possui, entre desafios, desvios e possibilidades do artista-docente na prática pedagógica do teatro na escola, entrelaçando-se e dialogando constantemente com o aluno e sua realidade.

Give your website a premium touchup with these free WordPress themes using responsive design, seo friendly designs www.bigtheme.net/wordpress